domingo, 25 de abril de 2010

a maturidade: mais vale tarde que nunca!

Aos 36 anos, finalmente, começam a surgir os sinais da maturidade ... democrática:

«[...] Escolhido para falar em nome do PSD na sessão solene de hoje, o ex-líder parlamentar social democrata José Pedro Aguiar-Branco subiu à tribuna de cravo vermelho ao peito e começou por citar a filósofa e economista marxista Rosa Luxemburgo. [...]

«A ala esquerda desta Assembleia parece recear a afirmação do sentido de nação, a ala direita parece temer o sentido do uso do cravo vermelho», apontou [...]

Na assistência, e ao contrário da maioria da bancada social democrata, o novo presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, exibia também um cravo vermelho na lapela, assim como o antigo presidente do partido Marcelo Rebelo de Sousa.

Aguiar-Branco defendeu que o cravo não é propriedade de nenhum partido, que a revolução de Abril foi feita para todos e lamentou que o «revanchismo» tivesse chegado à música, perguntando se não pode quem se senta na ala direita gostar de Zeca Afonso. [...]»
[1]

«[...] O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, considerou hoje que Portugal já evoluiu o suficiente para não haver polémica sobre quem ou não põe um cravo vermelho ao peito em comemoração do 25 de Abril.

Pedro Passos Coelho falava aos jornalistas no final da sessão solene comemorativa do 36.º aniversário do 25 de Abril na Assembleia da República, cerimónia a que optou por ir de cravo vermelho ao peito. [...]»
[2]

A entrada na meia-idade parece estar a fazer bem ao 25 de Abril. Esperemos que se mantenha.


[1] --- Aguiar Branco cita Lenine para defender revisão constitucional, TSF [Abril 2010]
[2] --- Já evoluímos o suficiente para não haver polémica sobre quem põe cravo ao peito - Passos Coelho, RTP [Abril 2010]