terça-feira, 21 de outubro de 2008

back to basics: teoria monetária 101

Money as Debt

Zeitgeist: Addendum

3 comentários :

Marco Gomes disse...

Tal como outro (Zeitgesit) já vi este (Addendum).

Impressionante a deixa: Se fosse paga toda a dívida o dinheiro deixaria de existir...

João Vasco disse...

Vi o "Money as Debt" e creio que tem uns tantos erros económicos.

E as ideias defendidas, sob a aparência de serem de esquerda (contra os banqueiros, contra o consumismo, etc..) são na verdade ideias da direita liberal mais extrema: a inflação nula.

Neste momento os bancos centrais apontam para uma inflacção na ordem dos 2%, dispondo para isso de várias ferramentas: a taxa de juro directora, os limites que cada banco pode emprestar face ao seu capital (fala-se disso no filme), etc..

A esquerda geralmente defende que não se devia sacrificar tanto o crescimento para controlar a inflacção, defendendo taxas de juro mais baixas, etc...

A direita geralmente defende que faz sentido ser intransegente na defesa de uma inflacção de 2%, nem que para isso as taxas tenham de ser muito elevadas.

O que o filme defende, escrito por outras palavras, é que a taxa de inflacção devia ser 0%. Isto corresponde a juros do banco central infinitos (os bancos não poderiam "criar" dinheiro, portanto o banco central visto não ter depósitos não emprestaria dinheiro); e a juros em geral muito mais altos.

Não é que uma ideia, por ser de direita, seja necessariamente absurda. Até pode ser que essa ideia tenha os seus méritos, é uma discussão a fazer.

Mas acho curioso que um filme que parecendo um pouco "extremista de esquerda", seja na verdade um pouco "extremista de direita liberal".

Quanto ao outro, não conheço.

João Vasco disse...

intransigente, digo.